sexta-feira, 25 de junho de 2010

Puto cagão

Nos últimos dias vi algumas coisas absolutamente inacreditáveis. Além de ter ido a uma festa onde a Maya estava a assar e a servir feveras na brasa(a crise toca a todos), tive também oportunidade de ver este video.

Passo a explicar: Dunga, o actual seleccionador brasileiro e antigo anão amigo da branca de neve, ultimamente anda pegado com jornalistas. Nesta situação pega-se com um jornalista que, ao que o Chá com tremoços apurou, estaria a olhar para ele, e insulta-o baixinho, para que ninguém repare.

Ora, para azar do Dunga, no exacto momento em que decide insultar o jornalista, ele também se encontrava numa conferência de imprensa.

Cheio de câmaras apontadas para ele, com dezenas de pessoas presentes, e com um microfone mesmo à sua frente, Dunga chama "Puto cagão" (Criança que defeca bastante) ao jornalista.

Acho o video hilariante, primeiro porque é incrivel como alguém pode tentar esconder um insulto numa situação destas, e depois porque parece uma discussão de crianças. É fantástico. Vejam já!

Já viram?



E agora já viram?

Espero que se tenham rido tanto como eu.

E já agora, fiquei hoje a saber que o jogador Maicon Douglas, se chama assim em honra do actor Michael Douglas, mas que no registo algo correu mal, e o primeiro nome ficou Maicon.

segunda-feira, 21 de junho de 2010

Merda das reticências

Recebi uma s.m.s. a dizer "Não te preocupes..."

Eu podia sentar-me relaxado no sofá e realmente não me preocupar, mas as reticências impedem-me de fazer isso.

Porque é que esta pessoa não usou um ponto final? Ou até um ponto de exclamação? Será que a pessoa não liga à pontuação e pôs as reticências porque lhe apeteceu? Mas colocar um ponto final dá menos trabalho do que colocar 3. Será que essa pessoa me está a esconder alguma coisa? Será que está a gozar comigo? Mas é uma coisa relativamente séria. Algo se passa aqui!

É como alguém dar-nos uma boa notícia mas no fim acrescentar um "mas".

Concluindo, estou preocupado.

quarta-feira, 16 de junho de 2010

Salas de espera

Ir ao centro de emprego, ao hospital, ou a qualquer sítio público com sala de espera é uma experiência sempre bastante aborrecida, principalmente porque sabemos perfeitamente que o que vamos fazer nessa sala é: esperar.

As pessoas estão sempre tristes, com sono, chateadas, nas paredes só há cartazes que nos fazem lembrar que estamos desempregados ou doentes e os funcionários atendem-nos sempre contrariados.

O melhor que pode acontecer ali para nos entreter é ver alguém armar um escândalo por causa do tempo de espera e juntarmo-nos a essa pessoa com comentários clássicos tipo "é uma pouca vergonha" ou "isto é brincar com a vida das pessoas", ou então ouvir alguém a falar alto ao telefone, e ficarmos a saber coisas da vida dessa pessoa.

As televisões nas salas de espera também já não ajudam, porque põe sempre na RTP (o que, durante o dia, já é bastante aborrecido) ainda por cima tiram o som. Já acho pouco interessante ver a Serenella Andrade a entrevistar pessoas, sem som fica ainda menos interessante. Não que eu queira ouvir a Serenella, mas se põem lá televisão, ao menos ponham com som.

O meu sonho é viver num país onde nas salas de espera haja alguém encarregue de entreter as pessoas. Gostava de estar numa sala com um palco no canto onde uma banda tocasse umas musiquinhas, ou alguém fazia stand up comedy. Gostava que houvesse mesas com petiscos, e pessoas a fazer truques de magia e a cuspir fogo. E porque não uma tv com playstation?

Assim não me importava de esperar.



terça-feira, 15 de junho de 2010

WTF?!?!!?!

Que é feito das gajas boas da meteorologia??? Agora um gajo nem sabe se há de sair de guarda chuva ou não!

quarta-feira, 9 de junho de 2010

Brincadeiras de infância

Hoje apercebi-me que cresci, e que tudo à minha volta está mais adulto.

Porque dizes isso, Chá com tremoços? - perguntaram os simpáticos leitores.

Porque comprei umas sapatilhas, e ninguém as calcou dizendo "Sapatilhas novas? Tenho de as estrear".

Isto acontecia-vos na infância?

Sempre odiei isso. Uma pessoa comprava umas sapatilhas porreiras, ia para escola todo contente e convencido por ter os pés calçados pela Nike, e chega um puto estúpido qualquer e calca-me para, segundo ele, "estrear" o calçado.

Ora a partir do momento que eu calçei a sapatilha, ela foi estreada, não é por tu a sujares, que ela vai ser estreada, seu puto estúpido.

É óbvio que eu não lhes chamava isso na cara, porque era pequenino e magrinho, e ainda acabavam por me levar ao poste, outra brincadeira que nunca percebi. Onde está a piada de esmagar os testículos de outra pessoa contra um poste?

terça-feira, 8 de junho de 2010

Os problemas físicos de Nani

Eu estou farto de ouvir e falar da selecção. Mas não resisti a escrever este post, espero que me consigam perdoar.

Há uns dias, como o Chá com tremoços relatou, Nani foi obrigado por um repórter da TVI a soprar numa vuvuzela de um adepto que estava por ali perto. Previ que Nani fosse apanhar uma doença qualquer.

Ora, hoje Nani é obrigado a abandonar a selecção por "problemas físicos". Pfff.. problemas físicos..

O Chá com tremoços aconselha: Não soprem em vuvuzelas de estranhos, para não contraírem "problemas físicos".

P.s- Pelos comentários ao meu último post, sobre a festa do Senhor de Matosinhos, deu para perceber que uma parte dos meus seguidores só pensam em farturas. Estou a pensar criar um passatempo qualquer cujo prémio irá ser nada mais nada menos do que umas belas farturas.

domingo, 6 de junho de 2010

O Mega Transformer do Senhor de Matosinhos

Andava cheio de vontade de me meter em alguma coisa que me proporcionasse uma grande dose de adrenalina. Pensei em comprar 500 vuvuzelas para as poder destruír ao som de uma rockalhada, pensei em meter-me na droga, pensei em entrar em contramão na auto-estrada, mas estas opções ou davam algum trabalho, ou ameaçavam a minha integridade física.

Decidi então procurar adrenalina num carrossel da festa do Senhor de Matosinhos, que de forma surpreendente, e mais uma vez, decorreu em Matosinhos.

Dei lá umas voltas, escolhi vários carrosseis potencialmente assustadores, e depois comecei a cortar da lista alguns, como por exemplo aquele que o ano passado provocou dois feridos. Sobraram o Canguru, e o MEGA TRANSFORMER (o nome tem algum impacto, apesar de não fazer a mínima ideia o que raio é um Mega Transformer). Fui então ao Canguru, só para aquecer e depois parti para a grande aventura.

Cheguei ao grande carrossel, e fiquei a observar o monstro, as reacções das pessoas que nele andavam e a ouvir as palavras inspiradoras do tipo que controlava o carrossel, entre as quais, passo a citar "Spétaculare" e "Altamente". 20 minutos passados, e depois de tentar perceber porque é que o carrossel estava suspenso numas tábuas, perdi o amor à vida, e fui comprar o bilhete.

É com agrado que vos anuncio que sobrevivi.

A seguir mostro-vos o video desta aventura. ATENÇÃO: os gritos femininos que ouvem no video, não são os meus. Os meus eram ainda mais femininos.


video

sábado, 5 de junho de 2010

PORTUGAAAAAAAAL

A partida da selecção para a África do Sul foi assim:

Autocarro abandona hotel e dirige-se a uma bomba de gasolina para abastecer. Na bomba de gasolina, os jogadores foram muito simpáticos e saíram para dar autógrafos aos adeptos ali presentes. De seguida dirigem-se para o parque Eduardo VII onde milhares de portugueses os esperam.

Como eu vi a partida da selecção para a África do Sul:

Autocarro abandona hotel, e dirige-se propositadamente a uma bomba de gasolina da GALP, para promover a marca. Lá, um grupo de adeptos "CONTRATADOS" recebe os jogadores, que dão autografos, em centenas de VUVUZELAS. De seguida dirigem-se para o parque Eduardo VII onde milheres de portugueses vêm Tony Carreira, e para promover a marca MODELO.

Quatro pequenas notas:

- Não percebo como se enche um telejornal com a viagem de um autocarro.
- Enche-se muito tempo de antena com perguntas a adeptos acerca de prognósticos de resultados, e jogadores preferidos, etc...
- Jornalista da TVI pede a Nani para soprar numa vuvuzela. Nani diz que não tem ali nenhuma. O jornalista pede então uma vuvuzela a um adepto e dá a vuvuzela a Nani, obrigando-o a soprar na vuvuzela de um estranho (não é uma piada sexual). Amanhã no 24horas: "Nani apanha herpes por causa de repórter da TVI".
- Miguel Sousa Tavares, quando chamado a comentar, na Sic, este tema, disse tudo aquilo que eu penso sobre esta loucura à volta da selecção. Mereceu um aplauso de minha parte, aplauso esse que foi interrompido pela minha mãe a criticar a minha falta de boas maneiras por bater palmas à mesa.